2.3.08

O bom vinho não precisa de rótulo



Os americanos costumam dizer que se você quer que uma coisa saia bem feita, faça você mesmo. Assim, os inventores do do-it-yourself criaram sua receita de como elaborar um super californiano, digamos assim, em apenas três etapas. Primeiro: lance ações em Wall Street. Segundo: escolha uma celebridade para dar nome ao vinho e enfeitar o rótulo. Terceiro: compre uma vinícola no Napa Valley.

Hoje é fácil encontrar nas boas casas do ramo Marilynn Merlots, Elvis Cabernets, Coppola Chardonnays e os não tão coloridos, mas não menos célebres, varietais da família Mondavi. Difícil mesmo é encontrar um autêntico home made wine criado e nascido nas férteis terras do Napa.

Metade das grandes vinícolas da Califórnia começou como vinicultura de subsistência, produzindo Zinfandels no quintal de casa para acompanhar o perú de ação de graças. O negócio prosperou graças ao terroir e ao empreendedorismo estadunidense. Alguns poucos produtores, no entanto, continuaram fazendo vinhos à moda antiga. Com carinho, paciência e o mesmo cuidado com que as avós daquela região assavam tortas de maçã.

Apenas a indicação 02 CAB escrita com esferográfica azul sobre a parte visível da rolha. Ganhei as duas garrafas de meu amigo Glynn Baker, produtor, junto com sua esposa deste autêntico californiano do Napa, nascido e criado no mesmo código postal dos Opus One e dos Caymus, seus mais renomados vizinhos.

Observando a garrafa nua, tive vontade de vestí-la com uma gravura de Picasso e dar-lhe um nome qualquer como Mouton ou Rothschild. Bobagem, pensei. Como bem dizem os franceses, o bom vinho não precisa de rótulos.

25 comentários:

teresa disse...

verdade. mas textos assim esclarecedores são indispensáveis.

Vinho para Todos disse...

Eduardo, que bom que voltou às postagens. Li atentamente sua explicação. Entendo perfeitamente o que quis dizer. Ganhei uma garrafa ainda sem rótulo de um vinho que se chamará "História" e será comercializado por uma grande vinícola do RS. Estou curioso para abri-la e experimentar, como você, um vinho sem rótulo. Não sei se colocarei um grande artista no rótulo. Só o tempo dirá. Mas que é curiosa e interessante a expectativa, isso é!

Saúde!

Helô disse...

Sou uma fuçadora anônima do teu blog e fiquei feliz por encontrar o post de hoje.
muito obrigada pelos excelentes momentos de leitura.
forte abraço gaúcho

Pingus Vinicus disse...

Caro amigo, foi com enorme alegria que li mais um texto seu.

Um abraço

rc disse...

fazia tempo que nao escrevias....

Vinhos sem rotulos me lembram uns que eu tomei no paraná, a qualidade era sofrível, mas tinha sido feito por um amigo do meu tio-avô... foi uma experiência bem diferente...

Com certeza, o californiano eh muito melhor....

Paco Torras disse...

Pelo visto vc passou os últimos meses em silêncio mas em ótima companhia!

Le vin au Blog disse...

Confrades,

Desculpas pela demora em indicar o vinho do mês.

Gostríamos de indicar o vinho uruguaio Cisplatino Tannat / Merlot 2005 (Pisano) importado pela Mistral (http://www.mistral.com.br/product.aspx?idDept=0&idProduct=15287).

Não sei se será fácil encontrar este vinho em todos os lugares. Caso vocês tenham dificuldade podemos mudar a indicação para o brasileiro Dal Pizzol Merlot 2005.

Aguardo o breve retorno de todos.

Abs.,

Le Vin au Blog

Anônimo disse...

Os bons vinhos jamais têm "rótulos", só destinatários.
Antes, bem antigamente, quando o produtor de vinho conseguia um bom o guardava só para os amigos.
Sempre que podiam íam até à casa do amigo só prá bater um "papo".
Mas o principal motivo era o de levar uma garrafa dàquela safra especial (que estava guardada num tonel lá nos porões do rancho, onde niguém descia).
O vinho era presenteado em garrafas (essas de cerveja) verdes, arrolhadas e cobertas com cera de abelha, e,para serem transportadas, ía(m) acondicionada(s) em um pequeno engradado de sarrafos revestido de palha/capim seco.
Era um presente, um vinho que, afortunados, sabiam a desnessecidade de rótulo.
Depois apareceram os "enólogos" que, como políticos profissionais, achararam que o melhor é aparecerem independentemente das merdas que fazem.
Strix.

Clarissa Magalhães disse...

AMO te ler!
Muito bom que voltaste a postar..
Fiquei imaginando a delicia de fazer a sua propria garrafa e vinho.

Helô disse...

Prezado Eduardo

Enquanto não voltas, degusto os textos antigos. Já tenho meus favoritos:"Mea culpa" e "Isabel, niagara e os carmina burana". Difícil escolher qual o melhor.

Forte abraço.

Leda Almeida disse...

Olá! Não paro de olhar este blog e estas receitas deliciosas!! Você está de parabéns, de verdade! Tenho você adicionada à minha lista, dá uma olhada no meu blog, e gostando, adicione! rsrs
Abraços

Winebarnazare disse...

Meu caro Eduardo Lima,aproveito este local de comentários,para lhe solicitar que me permita colocar o endereço deste blog nos links do meu blog(www.winebarnazare.blogspot.com),da mesma maneira pedia-lhe se possivel fazer o mesmo em relação ao meu endereço,num link do seu blog.desta maneira espero a divulgação dos nossos blogs com o intuito principal de "chegarmos" a mais amantes da causa Enófila.
Cumprimentos,aguardo resposta..nuno estrelinha@gmail.com,nazaré

Vinho para Todos disse...

Para facilitar nosso contato em virtude da Confraria Brasileira de Enoblogs, sugiro que troquemos nossos e-mails.

Favor enviar seu endereço para:

vinhoparatodos@bol.com.br

Assim que tiver o e-mail de todos os confrades, informo aos demais.

Saúde!

Lucas Aleixo disse...

Perfeito!!! O bom vinho não precisa de rótulos, in vino veritas sempre!!!
Acrescento ainda que boa parte do sucesso dos vinhos americanos provem de uma super-valorização do produto nacional deles, mas claro, existem ótimos vinhos americanos.
Parabéns pelo Blog!
Abraços,
Lucas Aleixo
http://www.belovinho.com.br

Gourmandise disse...

Eduardo,
Me chamo Nina Moori e escrevo junto com o Marcel Miwa no Gourmandise.
Acabamos de entrar para a "Confraria Confraria Brasileira de Enoblogs". O "Vinho para Todos" nos indicou para sugerir o "Décimo sexto" vinho a ser degustado.
Para aproveitar o frio que está chegando, optamos por um vinho do Porto.
Sugerimos o vinho do "Porto White Comenda". No Pão de Açúcar de São Paulo está custando R$35,47.
Espero que encontre com facilidade.
Qualquer dúvida, meu e-mail: ninocamori@hotmail.com
abs,
Nina.

Vinho para Todos disse...

Caro Confrade,

o vinho do mês de junho (postagem no dia 1º) já foi escolhido pelo Gourmandise: Porto White Comenda.

Pelo rodízio, cabe a mim a escolha do vinho de julho (postagem em 1º/7). Para que todos possam encontrá-lo com mais facilidade, quero indicar desde logo o SANTA HELENA VERNUS 2004. É um corte de CS + Merlot + Carmenere, que pode ser encontrado no Carrefour, em torno dos $35.

Saúde!!

j... disse...

Verdade. Agora recordou-me uma garrafa de vinho do Porto de produção caseira que, oferecida à família por um amigo já há anos, acabou por me vir parar às mãos. Que Ruby complexo! E que encorpado! Quase se colava aos bordos do copo... Poucos outros Portos bebi que me tenham sabido assim.

Adiante :)

Do post,

"O negócio prosperou graças ao terroir e ao empreendedorismo estadunidense."

Também, mas não só. Mais do que resposta a um mercado onde continua a haver procura para certos itens (independentemente de qualquer tipo de relação qualidade/preço), o que se presencia actualmente parece-me uma consequência, vá, um subproduto do espírito americano. "Temos de ser os maiores." O que quer que seja que, topo de gama de marca europeia, custe x, tem um antagonista americano, por vezes quase exclusivamente para consumo interno, a "valer" 2 ou 3x. E a essa estranha forma de vida a que - muito garbosamente - chamam "bling", que fazem? Vendem :)

de Litro disse...

Faz tempo que voçê não escreve.
Consegue ter uma colheita ainda mais reduzida que a minha.
O que se passa?
Está tentando nos matar de saudade?

amigas na cozinha disse...

Querido amigo gourmet,

O blog 4 amigas na cozinha o convida a participar da nossa festa virtual de inauguração do blog.

Participe enviando para nós uma de suas receitas durante o mês de julho!

Será um grande prazer partilhar sabores e descobertas com você.

Com carinho,

Fernanda, Jack, Jaqueline e Leda
4amigasnacozinha.blogspot.com

César disse...

Edaurdo


Gosto bastante de vinhos, fiz um curso de sommeleier e bebo razoavelmnte..rss Belo blog.

Abraços

cesar

Anônimo disse...

Oá amigo, gostei bastante do seu blog.
Como eu também tenho um blog sobre vinhos e gastronomia, caso haja interesse podemos fazer uma troca de links, eu coloco um link seu no meu blog e vice versa.
Se interessar, entre em contato
www.otanino.blogspot.com

Abraço

Jean

Wservir disse...

Boa tarde,

O seu blog / Site chamou a atenção dos nossos colaboradores pela qualidade das suas receitas.

Ficaríamos muito gratos se você regista-se o seu site / blog no Ptitchef.com.

Ptitchef é um diretório com as melhores referências de sites de cozinha na web. Centenas de blogs espalhados pelo mundo já estão registados, aproveite para conhecer o site Ptitchef.(www.ptitchef.com ou http://pt.petitchef.com)


Para se inscrever no Petitchef clique aquí http://pt.petitchef.com/?obj=front&action=site_ajout_form ou no link http://pt.petitchef.com e clique em "Adicionar o seu blog-site" sobre a barra laranja.


Atentamente,

Octávio
Ptitchef.com

wservir@gmail.com

Imfernandes disse...

O vinho para novembro da Confraria Brasileira de Enoblogs será o argentino Latitud 33 Malbec 2007.

Postagem para 1 nov 2008.

Abraços.

Leonardo de Araújo disse...

CONFRARIA BRASILEIRA DE ENOBLOGS
Vou sugerir mais um argentino para 1º de dezembro: Argento Reserva Bonarda 2007.
Pelo menos em Curitiba o tenho encontrado em várias redes de mercados e não me lembro da Confraria ter provado essa uva ainda.
Brindes
Leonardo
vivaovinho.blogspot.com

Helô disse...

Eu ainda não acredito que tenhas desistido de escrever por aqui. Confessa, estás escrevendo secretamente para lançar um livro, né?

Volta, por favor.

Forte abraço gaúcho