14.11.07

Aquela noite no Café Anglais


No dia 7 de junho de 1867, Alexandre II, tsar da Rússia, Alexandre III, seu filho e sucessor, e Guilherme I, rei da Prússia e futuro kaiser do império alemão, protagonizaram em Paris o maior espetáculo gastronômico de que se tem registro nos anais da História. O palco de tal acontecimento foi o mítico Café Anglais, em Paris.

Para o jantar, que ficaria entronizado como o Banquete do Três Imperadores, foram preparados suflês de creme de galinha à moda do Reno, filés de linguado à veneziana, ensopados de galinha à portuguesa, beringelas à espanhola, lagosta à moda de Paris e ortolans, pequenos passarinhos, à moda de Rouen. A tradução em português fica a dever à magnitude do menu cujo texto original, por si só, justificaria a Comuna de Paris e a precedente Revolução Russa. Principalmente por essa parte:

Vins

Madère retour des Indes, 1846


Xerès, 1821

Chateau Yquem, 1847

Chateau Margaux, 1847

Chambertin,1846

Chateau Latour, 1847

Chateau Lafite, 1848

O Café Anglais foi citado no cinema em Festa de Babette. Após preparar um banquete digno de reis para um pequeno grupo de habitantes de uma vila camponesa, a chef Babette, quando perguntada sobre como foi possível consumir um prêmio de loteria em uma única noite, responde: " é o preço de um jantar para dez pessoas no Café Anglais." 

 Emblemático de seu tempo, o Café Anglais desapareceu junto com a época da qual foi protagonista. Foi demolido em 1913. Estive lá duas semanas atrás.

Não mais se localizava no Boulevard des Italiens, mas na pequena vila incrustada na Serra da Mantiqueira. Os chefs não mais eram Adolphe Dugléré e sua promissora assistente Babette, mas Maria Olimpia Fortes e Frederic Silva. De resto, tudo permanecia igual. A sopa de camarões da acima veio acompanhada de um jerez amontillado. Fazendo par com o Clos Vougeot da Borgonha ali do lado, codornas recheadas com foie gras e dispostas em pequenos sarcófagos à moda do Vale dos Reis do Egito.

Ainda seriam servidos queijos, sobremesas e um destilado de champagne, este último sob a noite estrelada. A confraternização ainda se estenderia pela abóbada celeste. Mas não fui até o momento em que os sisudos e sofridos camponeses são proclamados reis. Recolhi-me mais cedo. O sol não tardaria a raiar e alguém precisava ver como andavam as coisas no vasto Império.

12 comentários:

teresa disse...

e no entanto, você teve a sua noite de rei. eh, inveja...

Alcides Jr. disse...

Que descrição belíssima de um evento enogastronômico. Aliás, acredito que não existe nada mais incompleto do que degustar uma grande garrafa sem um prato à altura. Creio firmemente, assim como os italianos, que o vinho e a comida são um par perfeito, um não está pleno sem o outro.

GUGA ALAYON disse...

espero que tenha voltado de táxi para comandar o que restou de vosso império.
òtimo poste.

Frederico disse...

Caro Eduardo,

estou escrevendo uma matéria para a revista Vinho Magazine sobre Blogs de Vinho.

Podemos trocar algumas palavrinhas por e-mail para que eu possa enriquecer meu texto?

Infelizmente, tenho um pouco de pressa nesta pauta, por isso aguardo o contato de vocês o quanto antes.

Obrigado,

abraços

Frederico Viotti

fviotti@marketpress.com.br

Vinho para Todos disse...

Amigos. Como o mês de dezembro já está quase na metade, gostaria de tomar a liberdade e indicar o vinho do mês, para postagem em 30 DE DEZEMBRO:
CABRIZ COLHEITA SELECCIONADA TINTO 2005. É um Dão bastante acessível, que pode ser encontrado nos supermercados.
Se estiver OK para todos, favor confirmarem.
Saúde!

Paco Torras disse...

Eduardo, feliz natal e um ótimo 2008 para vc e para as uvas!
Abs
Paco

Vinho para Todos disse...

Eduardo, quero desejar a você, seus familiares e amigos um 2008 de muita paz, saúde e alegrias. Com muitos bons vinhos, claro.
Grande abraço.
*** sentimos sua falta nos comentários da "Confraria"

Diego disse...

Comecei a participar da "Confraria Brasileira de Enoblogs" no último mês de 2007. Logo no inicio de 2008, recebi o convite de Vinho para Todos de indicar o vinho para este mês de Janeiro. Para a data, proponho o último domingo do mês, dia 27. O vinho que indico, devido ao clima quente que tem feito nos últimos dias, o Finca La Linda Rosé of Malbec 2006.
Um vinho rosé que vem sendo muito vendido no restaurante em que eu trabalho e ainda não o experimentei mas acredito ser um bom. Já aviso a todos que é comum a rolha quebrar no meio ao extrai-la... o porque não sei, mas não se assustem, o restante dela sai facilmente.
Abraços a todos, espero que gostem da sugestão para o mês. Saúde! E desculpem o Ctrl C / Ctrl V.

Vinho para Todos disse...

Confrade,

o 12º vinho da Confraria Brasileira de Enoblogs já foi escolhido: FINCA LA LINDA MALBEC ROSÉ 2006.

A escolha foi feita pelo Diego (Di Vinho Viver), com postagem para dia 1º/2.

Saúde.

Pedro disse...

Olá Eduardo,

Além de te dar os parabéns por mais um ótimo post, quero lhe fazer uma oferta. Eu tenho uma consultoria de marketing e comunicação, e um dos meus clientes está lançando uma revista, e gostaríamos de ter uma seção sobre vinhos. Vejo que você acabou de receber uma proposta parecida, mas lhe prometo que não vai te dar trabalho.
Aguardo o seu contato.

Pedro Martins

pedro@autemconsultoria.com.br

Wine Connections disse...

Grande Blog. Bom template (parecido com o meu) excelentes histórias, bem escrito e óptimas fotografias. Parabéns

Camarada Arcanjo disse...

O seu blog é uma delícia, desejo confessar. Envolvente e enebriante como um bom vinho, tem um conteúdo encorpado de descrições de pratos, acompanhamentos e ambientes, no fundo toques relevantes de história e um buquet de imagens encantadoras.
Parabéns, muitos parabéns, seu bolg é muito bom.