10.7.06

Eu, que pensava que os grandes vinhos eram pisados por bailarinas.


Não são. Mas a pisa da uva é uma prática realizada desde os primórdios da humanidade. A partir do momento em que Baco, no grego Dionísio, plantou a primeira uva, muitos foram os que recomendaram o produto de seus frutos. Noé, diz a Bíblia, plantou uma vinha e tendo bebido o seu vinho, embriagou-se em sinal de agradecimento. Resultado: encalhou a arca no Monte Ararat e nós estamos aqui até hoje. 

Na antiga Grécia, Hipócrates, o pai da medicina, enaltecia as propriedades medicinais do vinho. Passaram-se 1.700 anos e algumas revistas semanais ainda falam disso como se fosse novidade. Estava lá na Babilônia e agora no Louvre, inscrita no granito negro do Código de Hamurabi, a lei que autoriza e regula o funcionamento das casas de vinho. Paracelso, o grande filósofo hermético, teria obtido o elixir da longa vida a partir do vinho e, segundo afirmam alguns esotéricos, completou recentemente a idade de 1.125 anos e é um pequeno, porém renomado, produtor de vinhos no Alentejo. 

O fato é que não é de hoje que os frutos da parreira são pisados em tanques conhecidos pelo nome de lagares. A pisa é o processo que acelera a fermentação da uva e sempre foi realizada por homens. Nunca foi permitido às mulheres entrarem no lagar. Dizem que os hormônios femininos geram certa incompatibilidade química que faz o vinho desandar. Se é verdade ou não, nunca o saberemos, pois é cada vez menor a produção de vinho a partir da pisa. 

Os modernos tanques de aço, que substituíram o processo artesanal milenar, introduziram a tal maceração carbônica, descrita pela fórmula C6H12O6 = 2C2H5CH + 2 CO2. Louis Pasteur que, não por acaso, testou o processo de pasteurização no leite, disse certa vez que há mais filosofia em uma garrafa de vinho do que em todos os livros. Pode ser. 

Pode ser também que os tanques de aço tenham acabado com boa parte dessa filosofia. Mas eu juro que se aparecer um vinho russo, produzido a partir de uvas siberianas, pisadas pelas bailarinas do Bolshoi, no ritmo da melodia de Tchaikovsky, eu compro na hora.


7 comentários:

kátia najara disse...

edu, gosto muito da sua escrita.
sobre a questão da pisa por mulheres, os japoneses também condenam sushi women por motivo semelhante. adoraria estudar isso a fundo e descobrir se tem embasamento científico, ou se temos aqui uma questão cultural. você tem alguma referência bibliográfica sobre o assunto?

marcos valcarcel disse...

Deixei esta mensaxe no meu blogue
(www.asuvasnasolaina.blogspot.com, tras dunha súa visita, que quero reproducir tamén aquí:
Benquerido amigo Eduardo Lima, que nos escribe dende Río de Janeiro: veño de visitar o seu blogue que é un prodixio de sensibilidade dedicada á historia da cultura vinícola no mundo,onte e hoxe. Por iso quero recomendalo aquí aos meus posíbeis lectores/as:
Pissandoemuvas.blogspot.com.
Unha aperta dende Auria.

Pingus Vinicus disse...

Caro confrade, no meio de um momento atribulado da minha vida, ainda tive tempo para vir visitar o seu Blog.
Simplesmente extraordinário o seu post.

Um abraço cordial

CrissMyAss disse...

Alguma coisa de verdade deve ter. Não dá pra fazer nenhuma receita que leve ovos, estando naqueles dias. Desanda geral.
Edu, noto que tu tens um quê de podólatra.
bitocks,
C.

eduardo lima disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Peninha disse...

Beba com moderação. hehehe.....

Copo de 3 disse...

Primando pela diferença, para melhor... BRAVO